Arquivo

Archive for the ‘envelhecimento’ Category

A fonte do rejuvenescimento!

young and old brain

A idade vai chegando para todos e com ela muitos outros contratempos. Quando vamos ficando mais velho, além dos problemas hormonais, ósseos e cardíacos, temos uma maior chance de ficarmos mais esquecidos, piorar as nossas habilidades cognitivas, ou até mesmo de desenvolver doenças neurodegenerativas.

Mas porque será que essas mudanças ocorrem? O envelhecimento faz com que a neurogênese (produção de novos neurônios) diminuia no nosso cérebro, contribuindo para um declínio nas funções cognitivas. Além disso, a comunicação entre os neurônios também é limitada, há maiores fatores inflamatórios no nosso cérebro, e também vamos perdendo a capacidade de nos lembrar das coisas. Um estudo publicado em 2011 na revista Nature revelou que os componentes presentes no sangue diferem entre o sangue idoso e o sangue jovem, um indício de que tais componentes podem modular as funções cognitivas do cérebro.

Para testar essa hipótese, os pesquisadores da escola de medicina da Universidade de Standford (EUA) colocaram plasma sanguíneo de camundongos velhos no corpo dos camundongos jovens e depois analisaram o cérebro deles. No cérebro desses jovens camundongos os pesquisadores descobriram que ocorreu menor plasticidade sináptica e também problemas de memória, assim como ocorre normalmente com um camundongo que está envelhecendo. Ou seja, camundongos novos passaram a se comportar como idosos. Ainda mais, os pesquisadores descobriram que uma molécula chamada Eotaxina pode ser uma das responsáveis por este efeito, pois ela está presente em grandes quantidades no cérebro de camundongos e seres humanos mais idosos.

Mais tarde, os pesquisadores injetaram sangue de camundongos jovens em camundongos idosos, e descobriram que o cérebro dos idosos agiam como se fossem mais novos, e que os camundongos idosos se saíam melhor em testes de memória, por exemplo. Os pesquisadores foram além, injetando sangue de seres humanos jovens em camundongos idosos, e conseguiram os mesmos efeitos benéficos que anteriormente.

Saibam os leitores que este grupo de pesquisadores acabou de começar uma pesquisa na qual estão injetando sangue de humanos jovens em humanos idosos com Mal de Alzheimer. Os resultados? Ainda não saíram, mas estaremos aqui na torcida!

E agora, será que os pesquisadores acharam a causa da velhice?  Será que achamos a fonte do rejuvenescimento? Já podemos inventar drogas para acabar com essa tal de molécula Eotaxina que faz envelhecer? Claro que não, meu caro leitor. Ela é apenas uma das substâncias envolvidas nesse processo. E quais são as outras? Quais são as susbtâncias responsáveis pelo rejuvenescimento? Muitas já foram descobertas, mas muitas ainda estão por vir…

Grande Abraço!

Fonte:

Leia mais…

Vila para idosos

“A vila da demência”

é assim que é chamada uma “vila” na Holanda, onde pessoas idosas portadoras de demência podem viver tranquilamente o resto de suas vidas. O centro Hogeweyk é uma casa vizinhança inteira de repouso. Neste lugar, os idosos podem circular normalmente, fazer compras, bater papo com os amigos, ir ao restaurante, ir ao teatro e até ir ao bar. Os fundadores dessa ideia afirmam que querem criar um ambiente para que os idosos continuem em sua vida ativa por mais tempo.

A vila fica na cidade de Weesp e foi aberta em 2009. Possui 23 casas e atualmente abriga 160 idosos. Infelizmente, é preciso pagar para hospedar as pessoas, e o custo gira em torno de 5 mil euros (quase 18 mil reais) por mês. Caro, não?

Confiram algumas fotos deste local.

het_grote_plein interieur_cultureel_01 interieur_indisch_01 interieur_stads_01 passage theaterplein

Maiores informações nos sites abaixo:

http://dementiavillage.com/

http://hogeweyk.dementiavillage.com/en/kenniscentrum/

Vi aqui.

Síndrome de Down e envelhecimento precoce

É estimado que um em cada 800 recém-nascidos apresentarão a Síndrome de Down, uma síndrome que é caracterizada por reduzir as capacidades cognitivas de seus portadores. Molecularmente, essa síndrome é caracterizada pela presença de 3 cópias do cromossomo 21 (seres humanos sem a síndrome possuem apenas 2 cópias deste cromossomo), e é essa trissomia que é a responsável por várias características de tais portadores.

ESQUEMANeste cromossomo 21, existe uma região que é a responsável por comandar a produção de uma proteína muito conhecida, a proteína Beta amiloide. Ela é mais conhecida por ser uma das proteínas que se acumulam no cérebro, formando placas, em pacientes com doença de Alzheimer.

No cromossomo 21 também existe uma região responsável pela produção de outra proteína, chamada SOD (enzima superóxido dismutase). A excessiva atividade dessa enzima causa um aumento do estresse oxidativo das células do organismo, comprometendo o bom funcionamento do mesmo. O estresse oxidativo, como o próprio nome diz “estresse”, se refere a algum mal causado nas células. Esse estresse faz com que os mecanismos celulares não aconteçam de forma harmoniosa. É muito presente em pessoas idosas e também está associado a um envelhecimento precoce de pessoas mais jovens.

Sabendo que em portadores dessa síndrome existe uma cópia a mais do cromossomo 21, é possível entender que essas duas proteínas (Beta amiloide e SOD) estarão presentes em maiores concentrações no organismo também. Portanto, fica fácil identificar porque pacientes com a Síndrome de Down são mais propensos a desenvolver um envelhecimento precoce associado a certas demências como o Alzheimer por exemplo.

 

Fonte: Abdel-Meguid et. al. Markers of neural degeneration and regeneration in Down syndrome patients. The Egyptian Journal of Medical Human Genetics. 2012.

 

Se você gostou do que leu, compartilhe 😉

Roupa que simula o envelhecimento

É pessoal, os cientistas criaram a primeira vestimenta que simula alguns dos efeitos do envelhecimento do nosso organismo.

Abaixo segue o texto tirado daqui.

“Você é daqueles impacientes, que ficam nervosos quando pessoas mais velhas têm dificuldade para subir e descer do ônibus ou para apanhar algo em uma prateleira? Que tal sentir na pele a dificuldade dos idosos para saber como é ter esse tipo de limitação motora? Uma roupa desenvolvida pelo MIT permite exatamente isso, simulando alguns dos efeitos físicos do envelhecimento.

A roupa possui cordas que limitam a movimentação e diminuem a flexibilidade, óculos que simulam dificuldade para enxergar e até sapatos que diminuem o equilíbrio do corpo.

O projeto levanta algumas questões interessantes sobre como esse tipo de iniciativa pode ajudar a sociedade. Ela auxilia no entendimento das necessidades reais das pessoas idosas? E, nesse contexto, qual seria o comprometimento atual da ciência com o estímulo à acessibilidade, ao respeito humano e à cidadania?”

 

impressionante!

 

Se você gostou do que leu, compartilhe 😉

%d blogueiros gostam disto: